Viroses são comuns no verão e podem ser evitadas com cuidados simples

Postada em 09.01.2020 ás 10:45

Alimentos limpos e de preferência bem cozidos, podem evitar o surgimento deste mal-estar

 

Lavar bem as mãos

Esfregar as mãos com sabão algumas vezes ao dia não é só uma indicação para evitar doenças como a gripe. Para a virose, tão comum nesta época do ano, também é fundamental. E não só isso: alimentos limpos e de preferência bem cozidos, podem evitar o surgimento deste mal-estar típico de praia.

Mas, afinal, o que é virose? De acordo com especialistas, muitas vezes, acabamos chamando todos os tipos de infecções alimentares de viroses. Mas elas podem ser causadas por bactérias ou por vírus. A contaminação pode acontecer durante o preparo ou conservação de alimentos. Por isso, começamos a matéria falando mais uma vez da importância de lavar as mãos.

Segundo a Secretária de Saúde Luciana de Abreu Corrêa, a virose é uma condição sazonal em todos os municípios litorâneos, o nosso está nesses indices. “No entanto todos os pacientes que procuram por atendimento nas unidades de saúde são atendidos conforme preconiza o protocolo dos sintomas”, completa ela.

Alta temperatura

As contaminações ocorrem com mais frequência no verão porque, ao mesmo tempo em que as temperaturas aumentam, cresce a exposição às doenças relacionadas ao consumo de alimentos mal conservados.

Segundo a nutricionista Alessandra Gaboardi, em entrevista para a NSC Total, os micro-organismos se multiplicam rapidamente em temperaturas ao redor dos 37°C. Eles liberam toxinas que provocam os sintomas das intoxicações alimentares. Em casos específicos, também levam a doenças sérias, como a hepatite.

-Uma pesquisa realizada pela Secretaria de Estado de Saúde de São Paulo mostrou que 27% desses surtos vêm do consumo de alimentos ingeridos dentro de casa e 24% fora delas-, explica a especialista.

Crianças mais vulneráveis

O forte calor e os hábitos fora de rotina na praia são grandes vilões para provocar desidratação e viroses, principalmente nas crianças. E para elas os sintomas são mais graves. Por isso, é importante que os pais fiquem atentos à higiene dos filhos.

Neste início de ano, diversos casos já foram atendidos, apesar de não ter um número fechado. Se o pequeno começar a sentir estes sintomas, procure um pediatra. Uma dica é tomar soro caseiro. Porém, o soro deve ser ministrado em quantidades pequenas várias vezes ao dia. Confira a receita do soro caseiro ao lado.

Dicas

– Lave sempre as mãos.

– Limpe bem utensílios e superfícies como tábuas de corte e facas.

– Beba muita água.

– Cozinhe bem os alimentos.Temperaturas acima de 74ºC eliminam os micro-organismos causadores das intoxicações.

– Após a refeição ou preparo dos alimentos, conserve-os em geladeira, mesmo que ainda estejam quentes. A temperatura da geladeira deve estar entre 4 a 10ºC.

– Descarte os alimentos preparados depois de dois dias de geladeira.

– Observe se os atendentes de restaurantes e barracas de praias lavam as mãos constantemente. Quem manipula alimentos não deve receber o dinheiro.

– Picolés e sorvetes não devem ter cristais de gelo na superfície

nem do pacote (externo).

– Evite a automedicação.

Receita do soro caseiro

– Água: 1 litro

– Sal de cozinha: 1 colher de chá rasa – equivale a cerca de 3,5g.

– Açúcar: 2 colheres de sopa cheias – equivale a cerca de 40g.

Modo de preparo:

Misture bem os ingredientes dentro de uma jarra. O soro pode ser ingerido a cada 30 minutos.

ESTÁ MATÉRIA É UMA DICA E NÃO UM TRATAMENTO, EM CASO DE SINTOMAS NÃO DEIXE DE PROCURAR AJUDAR PROFISSIONAL.

Redes Sociais

Todos os direitos reservados © 2014
::::::::::::::::. Garopaba 98,3 FM .::::::::::::::::