Família vítima de afogamento no Ouvidor é resgatada pelos Policiais Militares de Garopaba

Postada em 13.11.2019 ás 10:15

Das quatro pessoas resgatadas, infelizmente, uma veio a óbito após complicações respiratórias.

Policiais Militares resgartam família

No último domingo, 10, por volta das 17h, Policiais Militares de Garopaba patrulhavam a região da Praia do Ouvidor, quando foram chamados por familiares desesperados que pediam por socorro, pois seus parentes estavam sendo puxados pela correnteza indo em direção a alto mar.

Os PM Alan de Oliveira Martins e Fernanda do Nascimento Santos visualizaram algumas das vítimas, porém não era possível precisar quantas pessoas estavam em risco iminente de afogamento, só depois se soube que eram quatro pessoas em alto mar.

“Com agilidade e coragem os policiais retiraram seus equipamentos de proteção individual, como colete e armamento e deslocaram primeiramente pelo mar. De imediato conseguiram resgatar duas das quatro vítimas, com o auxilio de um militar gaúcho que estava de passagem pelo local”, conta o comandante da Polícia Militar Capitão Israel.

Enquanto o resgate acontecia para as vítimas mais próximas do bordo as outras duas continuavam sendo arrastadas para mar aberto. O atendimento a esses foi feito pelo costão, pois segundo os policiais desta maneira seria mais ágil o atendimento.

De acordo com Israel, a sua equipe contou com o auxílio de um surfista, que estava no local. Através dele, retiraram mais uma das vítimas. “Quase exausto, vendo que não conseguiria mais auxiliar na busca da última pessoa, o surfista cedeu sua prancha a um dos policiais que conseguiu alcançá-la e colocá-la sobre a prancha”, explica o Capitão.

Segundo o Capitão, quando a última vítima foi resgatada, ela estava inconsciente e ao chegar a terra não era mais possível perceber seus sinais vitais.  Após procedimentos pré-hospitalares realizados no local foi percebido uma pequena melhora na respiração. Com a chegada da ambulância ASU dos Bombeiros o homem foi encaminhado ao Pronto Atendimento de Garopaba e chegou até a conversar com os profissionais.

“Infelizmente, mesmo após apresentar significativa melhora, inclusive conversar com os policiais e familiares, novamente houve um agravamento no estado clínico do homem, vindo a falecer”, lamenta o capitão Israel.

Segundo o Capitão Israel, os policiais militares, em regra, não tem formação nenhuma na área de salvamento aquático, por isso o ato se reveste de tanto significado para eles. Esse tipo de resgate compete aos Bombeiros, mas como eles estavam lá no momento não hesitaram em salvar as vidas.

“SABEMOS QUE O FINAL DESTA HISTÓRIA NÃO É AQUELE QUE TODOS NÓS IDEALIZAMOS E SONHAMOS. ESTAMOS EXTREMAMENTE TRISTES COM A SITUAÇÃO. MAS COMO COMANDANTE DA POLÍCIA MILITAR DE GAROPABA, NÃO HÁ COMO NÃO SENTIR ORGULHO DOS POLICIAIS QUE ARRISCARAM SUAS PRÓPRIAS VIDAS EM PROL DE PESSOAS QUE NEM CONHECIAM. TALVEZ, SE NÃO FOSSE A INTERVENÇÃO DESTES HERÓIS DA VIDA REAL, A TRAGÉDIA SERIA AINDA MAIOR.” Capitão Israel.

Redes Sociais

Todos os direitos reservados © 2014
::::::::::::::::. Garopaba 98,3 FM .::::::::::::::::